Sedecti participa de Encontro Potencial Geoeconômico do Amazonas

0
27
Foto: Divulgação

A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti) participou, na tarde da última quinta-feira (23/09), do Encontro Potencial Geoeconômico do Amazonas, que aconteceu no auditório do Serviço Geológico do Brasil – CPRM, no bairro do Aleixo, zona sul de Manaus.

Na ocasião, foram abordadas as potencialidades de recursos minerais no Amazonas, além da questão de se materializar a política estadual de mineração e o desenvolvimento de ações feitas com o foco na sustentabilidade desses recursos.

O secretário executivo da Secretaria de Mineração, Energia, Petróleo e Gás (Semep) da Sedecti, Marco Antônio Villela, avaliou o evento como uma boa oportunidade para que o debate pudesse ser aberto, com vários segmentos da sociedade organizada, mostrando a importância que o tema possui para o estado.

“Estou muito satisfeito com a qualidade do evento, e falo em nome do secretário Jório Veiga (titular da Sedecti) e do Governo do Amazonas, agradecendo por essa oportunidade que o Serviço Geológico do Brasil – CPRM nos proporcionou, para que pudéssemos dialogar sobre uma pauta tão importante para a economia do Amazonas, que é o mercado da mineração. Esse debate me acendeu um alerta para que possamos aumentar o nosso foco no segmento”, destacou Marco Villela.

Os diálogos também envolveram temas como: os minerais existentes no Amazonas, estudos e questões de legislação, políticas públicas, dentre outros assuntos.

Para o diretor-presidente do Serviço Geológico do Brasil – CPRM, Esteves Pedro Colnago, existe a possibilidade de se levantar o máximo de dados e informações sobre o setor mineral, fazendo essas parcerias com as universidades.

“O Brasil é muito dependente do agronegócio e isso é importante, pois somos um grande player de grãos e de alimentos para o planeta. Porém, a mineração é um segmento importante no qual é preciso desenvolver ações. Temos várias potencialidades minerais estratégicas, como o potássio, o fósforo, o cobre, o lítio e o nióbio, e isso em nível nacional. No Amazonas existe a potencialidade do caulim, mas falta investimento”, declarou.

O Encontro Potencial Geoeconômico do Amazonas teve como foco principal estimular a pesquisa e o desenvolvimento, além de mostrar as oportunidades existentes para o setor mineral dentro de uma perspectiva de sustentabilidade para o Amazonas.

Além da Sedecti e do SGB-CPRM, o Encontro reuniu diversos representantes de entidades de classes, órgãos federais, estaduais e municipais, tais como: Polícia Federal, Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema), Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam) e Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror).

Também participaram a Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Amazonas (OAB-AM), Conselho de Desenvolvimento Econômico, Sustentável e Estratégico de Manaus (Codese), além de acadêmicos e professores das Universidades do Estado do Amazonas (UEA) e da Federal do Amazonas (Ufam), das Federações da Indústria (Fieam) e do Comércio (Fecomercio), dentre outros.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here